sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Concurso Lomocatraque


Esta é a foto que mando para o concurso Lomocatraque.
Quem sabe ganho minha La Sardina!!! =)

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

enquanto respirar...


Não sei dizer porque demoro tanto tempo para escrever no meu blog.
Preguiça? Afazeres? Ocupação exacerbada? Ócio total?
Acho que é um misto de todos.

Com o passar dos anos, de vez em quando, percebo que algumas coisas que eu adorava fazer, eu já não faço mais. E pior, eu ainda adoro todas elas...

1 - Escrever.
Escrever muito, sobre tudo, sobre nada, sobre qualquer coisa. Sentir-me útil, usando uma parte do meu cérebro que nem conhecia mais...

2 - Desenhar.
Na época da faculdade em suas aulas chatas de legislação na publicidade, eu tinha vários desenhos lindos feitos em folhas de fichário... Geralmente coisas da disney.

3 - Estudar inglês.
Bellos, como eu gosto dessa língua. É fácil, bonita, universal e apaixonante.
Sempre estudei sozinha, muito!
Os métodos se dividiam em: letras de músicas e seriados.
Ouvia a música acompanhando a letra, lia a tradução, e depois a letra várias vezes ouvindo a música, até entender o contexto, lembrar e identificar em novas músicas. O mesmo esquema com os seriados. Até hoje tenho falas decoradas de Friends...

4 - Ir ao cinema.
Ia quase toda semana, bastante com meu irmão que, agora casado, não vai mais. Mas tenho meu irmão solteiro, uma ótima companhia...

5 - Ir ao shopping com minha mãe.
Simplesmente andar, sem rumo e sem objetivos... e comer sempre um pedaço de bolo ou um doce gostoso da Padaria Brasileira.

6 - Ir a shows com o meu irmão.
Íamos a vários. Sertanejos, samba, pop, rodeios, rock, etc, etc, etc.
Época do Olímpia em SP, ainda tinha o ritual de comer no Habib´s em frente.

E se eu for listar, talvez esta lista não acabe tão cedo.

A pergunta que fica é: Por que paramos de fazer coisas tão gostosas?

Eu estou tentando descobrir...
Estou lendo "Comer, Rezar, Amar" e fazendo o programa do livro "A dieta sem dieta".
Ambos nos fazem pensar em questões internas e antigas, nos fazem olhar para nosso mais profundo interior...

E talvez seja por isso que estou com estes questionamentos hoje, dia que me privei de TV, rádio, redes sociais, e-mail pessoal, twitter, portais, blogs e tudo que me fosse comum e habitual nos últimos meses, anos...

A busca nunca cessa. Devemos sempre querer melhorar, nos elevar.
E acho que esse recomeço estou tendo agora. De novo estou buscando minhas raízes e pequenos prazeres. De novo, e de novo. Enquato puder, enquanto respirar.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Do Zero em 2011!

Saudade desse espacinho onde coloco minhas ideias.

A falta de tempo me fez deixá-lo um pouco de lado, mas nunca para trás!
Aqui estou novamente então para dar um olá!

O de hoje é especial, tem um propósito, um recado e uma esperança.
Tem um quê de pessoal, mas é voltado mesmo para o interpessoal.
O fora, o grande, o macro.
E o que remete à coisas grandes? Algo redondo? Assim como um Zero??? Então um Zero bem grande pra mim, que estou almejando tudo que seja grande, macro e por que não, Zero?
A ideia do Zero como sendo algo negativo me faz pensar exatamente o contrário.
O Zero é começo, é recomeço, é vida nova, é futuro e felicidade.
Estou recomeçando do Zero, com toda a energia de uma criança, mas a perseverança de um adulto que adentrou 2011 com o pé direito.
E olha aí o Zero ao lado do 11, número que todos frequentadores do blog sabem que eu simpatizo tanto...
Tá, nem todos sabem..rs
Então para vocês, deem uma lida em O curioso caso do número 11

Curioso e incrível. O Zero e o 11 juntos.
O que nos faz voltar à grandeza, (011), São Paulo, a maior potência econômica do Brasil.
Chega, sem mais delongas, ficou comprovado que é um ótimo número.

É isso aí.
Do Zero em 2011.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Smile =)

O post abaixo foi originalmente publicado em 1º/04/2010

***

Sábado, dia 27, foi a comemoração final do mês de março, onde eu e o Fê fizemos de praticamente todos os dias, um dia de festa.


Teve o meu dia, teve o dia dele, teve dia de amigos, teve dia só nosso, teve dia de affairs, teve dia de casa, dia de bar, dia de balada e dia de sofá.

O importante é que cada dia deste mês foi incrível e nós aproveitamos cada momento.

E é esta mensagem que quero deixar para todos que leem o blog.

Aproveitar mesmo cada dia como se fosse o último.

Sei que soa um tanto quanto clichê, mas cara, é tão verdade.

Deixo a música SMILE de Nat King Cole pra vocês…


Smile, what’s the use of crying?

Sorria, pra que serve o choro?
You’ll find that life is still worthwhile…

Você descobrirá que a vida ainda vale a pena …
If you just smile!
Se você apenas Sorrir!

Do lápis de cor ao batom foi um pulo!

O post abaixo foi originalmente publicado em 10/03/2010

***

Sabe, nem é fácil escrever esse texto e nem sei se queria que ele fosse tão longo. Mas também não sei se poderei evitar.

Hoje completo 30 anos. E a primeira coisa que me doeu desde a idéia de ter essa idade foi quando o governo informou sobre a vacinação da gripe suína e suas prioridades. Primeiro profissionais da saúde, depois gestantes, crianças, adultos de 20 a 29 anos, pessoas com 60 anos ou mais, adultos de 30 a 39 anos, etc.



Então.

Oi? O que? Eu fui jogada de quarto para sexto lugar no motim da vacina!

E se bobear convênio médico fica mais caro… e seguro de auto fica mais barato, porque consideram as pessoas “mais velhas” mais cuidadosas.

Sinto agora um rancor tão grande que mal posso descrever. ¬¬

Pronto, passou! Eeeeeeeeeee voltei! Rs =)

Claro que estava brincando…rs

Gente, o fato é que eu acho que até sonhei várias vezes com o dia em que completaria 30 anos. Acho que porque sempre soube que eu teria o mesmo espírito jovem que tenho há anos e que jamais me incomodaria com um número besta na identidade.

Eu fico feliz pra caramba de saber que vivi minha infância e adolescência nos anos 80/90, onde tínhamos jogos, brincadeiras, programas de TV, desenhos, manias e mil coisas tão peculiares que nenhum pimpolho dos anos 2000 vai entender.

Podem achar ridículo, mas era o máximo dançar com o Menudo na televisão e cantar a Dança do Passarinho no fim de Viva a Noite com o Gugu.

Brinquei muito a tarde com a criançada de pular corda, vai e vem, pogobol (essa droga que eu não conseguia parar em pé), Atari.

Vi a ascensão e queda do Michael Jackson, Xuxa, Giovani do voley, Os Trapalhões, Armação Ilimitada.

Andei no Opalão marrom do meu pai.

Minha primeira vez no cinema foi para ver o primeiro filme Batman.

Fiz curso de datilografia e vi a internet e o celular nascerem.

Assisti (“ao vivo”) filmes que ficarão para toda a história: De volta para o Futuro, Curtindo a vida Adoidado, Namorada de Aluguel, Ghost, Um tira da Pesada, Exorcista, Carrie.

Tem tanta coisa pra escrever, mas prefiro deixar pros emails quilométricos que fazem isso por mim, relembrando tudo que essa época tinha de boa.

Só quero deixar aqui registrada toda minha felicidade em ter completado 30 anos, onde tive uma infância ótima e bem vivida na sua real fase, adolescência linda com algumas descobertas um pouco tardias mas que depois, a gente sempre vê que foram pro nosso bem e evolução, e onde hoje posso dizer que tenho uma vida adulta perfeita, com minha alma jovem, brincalhona, divertida, alegre, otimista e por muitas vezes julgada infantil, mas que nunca se esquece das contas que tem pra pagar no fim do mês.rs

Com 30 anos posso dizer que sou muito melhor do que com 20.

Hoje sei lidar melhor com meus sentimentos, controlá-los de forma mais correta, sei analisar melhor as situações, ser menos neurótica, menos ciumenta, menos preconceituosa, mais realista, com muito mais discernimento e auto-confiança.

Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é.

Sábia frase!

Eu sei, bem sei, e estou muito feliz com isso. E você sabe?

Feliz Aniversário pra mim!!! :)

Me encontra… ou deixa eu te encontrar…

O post abaixo foi originalmente publicado em 12/01/2010

***




Fico pensando onde está você
E se você estaria pensando em me encontrar
Como sou, onde estou, e onde quero chegar?
Como sou, como é que vai ser, e onde vou te levar?
Mas se você me ver, pode acenar pra mim
Já pensou que louco te encontrar assim?
Eu vou na boa vou na fé sei que vou te encontrar
E quando eu te encontrar nós vamos comemorar!


(Charlie Brown Jr.)


Foto tirada por mim no Rio de Janeiro, dia 01/01/2010 logo após a virada do Ano Novo.

Adorei.. mesmo.. apesar da qualidade não estar tão boa…

Este ano eu quero um amor.

Pronto, obrigada.

Esse blog tá romântico pra cacete, né não??? rs…

Love is in the air… ou ainda… Slave to love na cabeça!!!

s2

*Consideração: estamos quase no fim do ano e isso não aconteceu..rs*

Solidão

O post abaixo foi originalmente publicado em 30/11/2009

***

Todos os dias passo por uma rua pra vir trabalhar onde tem um buteco, daqueles bem fuleiros mesmo.

Neste buteco, as 9h, 9h30 da manhã, os frequentadores mais assíduos são idosos, homens, e com expressões de tristeza que não consigo explicar.

Um em especial sempre me chama atenção, já que sempre fico parada num farol fechado bem na frente.

Como (ainda) não consegui tirar uma foto da cena, vou descrevê-la.

Sei que você tem uma imaginação fértil e vai conseguir visualizar.

“Um buteco bem fuleiro, com as paredes brancas descascadas, piso interno na frente vermelho esburacado embaixo de uma telha mal colocada.

Ao seu lado, uma porta verde que já não possui mais uma cor vibrante, alguns degraus de uma escada que apoia e sustenta o senhor que um dia me fez chorar.

Ele, calvo na parte superior da cabeça, cabelos brancos, cinza, sujos e oleosos. Olhos pequenos, pele magra e sofrida de uma vida cheia de coisas que jamais irei saber. Nenhum sorriso. Nunca. Somente uma barba longa da mesma cor de seu cabelo e um cansaço aparente, que nem a escada, nem o chão, nem a telha, nem a bebida e muito menos as pessoas que o cercam conseguem cessar. Seu olhar vê o nada e ele nem percebe que eu o enxergo. Será que ele tem quem o ame? Será que ele já amou? Será que ainda ama?“


Hoje senti falta do “meu” velhinho do bar.

SERÁ???

O post abaixo foi originalmente publicado em 17/11/2009

***

O que você, querido leitor, acha da palavra “será“?

Tá, preciso explicar onde essa merdinha de palavra se emprega para que eu a odeie tanto. Vamos lá então.

-”Nossa tem tanta nuvem no céu, será que vai chover hoje?”

-”Olha a fila do cinema, será que vamos ficar num lugar ruim?”

-”Que dor de estômago, será que foi o peixe que comi?”


Agora me diga, qual o propósito do cidadão que faz tal tipo de pergunta com essa palavra/expressão completamente inútil???

Nunca, em hipótese alguma, a resposta vinda do lado de lá terá algum tipo de certeza, nem pro sim, nem pro não. Ou seja, nada vai ser resolvido, solucionado ou respondido. Então, me diga, QUAL É A MERDA DO PROPÓSITO???

Juro que não sei, mas cada vez que eu ouço uma frase em que prevejo que será desse tipo, e vem o será logo em seguida, sinto comichões pelo corpo todo e uma onda de falta de paciência me domina.

O legal é que tenho autocontrole e nunca mando pro inferno.

Mas já fique sabendo você, se vier com uma frase dessa pra mim, me deixará completamente louca de nervoso!

E eu te desprezo!!!

O curioso caso do número 11!

O post abaixo foi originalmente publicado em 11/11/2009

***

Nada melhor que falar sobre isso hoje, dia 11/11.

De um tempo pra cá venho percebendo muito esse número no meu dia-a-dia.

E se tornou algo único, que poucas pessoas sabem e compartilham comigo.

*Uma olhada no relógio e páh, lá estava 11:11.

*Twitter, verificando meus seguidores e quem eu sigo, sucessivamente eram 74 e 47, o que somando cada número temos lado a lado 11 e 11.

*Levando o carro para o conserto, o mecânico me pergunta “Qual a kilometragem moça?”, eu olho e com a boca seca respondo “71.111″.

Casos cotidianos, banais, onde nada me afeta os tais numerozinhos.

Mas pesquisando na internet descobri que quando você vê esses números é hora de parar, pensar e se reintegrar com o seu eu mais verdadeiro e íntimo.

Que seria hora de mudar algo na sua vida, renovar e fazer as coisas fluirem.

Que seria você mesmo se dando uma dica para engatar a primeira marcha.

Ou seja, todos dizem ser algo bom!

Então eu sigo por aí, vendo 11 e 11 em tudo o que é lugar…

Placas de carro, número de ônibus, assento de aviões, horário de SMS recebidas ou enviadas, bem como scraps em orkut, é uma loucura só.

Mas sabe que nem ligo né…

Essa loucura me mantém rindo e com essa esperancinha, ainda que lá no fundo, de que sim, são momentos bons e que me mandam a todo momento “Vá nessa Vanessa!!! Seja feliz!!!”

E eu?

Tô indo universo!!!

Desnudando Fernanda Young

O post abaixo foi originalmente publicado em 10/11/2009

***



De um tempo pra cá eu me transformei em muitos aspectos da minha vida.

O que eu tinha preconceito, não tenho mais. O que eu abominava, não abomino mais. E muitas coisas que eu pregava aos 4 cantos, paguei lindissimamente minha língua fazendo igual e/ou admirando alguém que o faça.

Muita mulher tem o falso pudor de dizer que não vê foto de mulher pelada, faz aquela cara de nojo ou de algo proibido. Mas a verdade é uma só:

Todas querem ver como a outra é, sentem inveja e gostariam de ter aquele corpo. Claro que com um photoshop “particular móvel a tira colo” ao invés de nos Macintosh… rs

Eu vi, eu gostei e eu admirei o ensaio dela.

Fernanda Young, mais que um corpo bonito (ou não), alguém com cérebro, polêmica, diferente e que me chamou atenção dessa vez.

E a foto que mais me fez ver todo esse conceito de polêmica que a envolve, foi essa…

Algo mais polêmico que isso? Que as pessoas não falem, que se finjam de árvore?…rs…

Ta aí… adorei… assim como os slogans da Playboy sempre me deixam boba!

PARABÉNS!!! rs
Vou começar a migrar os textos do meu blog comunitário para meu blog pessoal, assim quem quiser ler o que eu penso não precisa andarilhar...

Todos os posts migratórios provém do blog http://twobecome1.wordpress.com.

Começo isso hoje, certo?


***********************************

O post abaixo foi originalmente publicado em 9/11/2009.

Chega de Fé???



Como dito anteriormente, fomos sábado ao Maquinária Festival.

Várias bandas tocaram, inclusive Sepultura e o lendário Supla, e foi muito engraçado ouvir seu 'japa japa girl' ecoando pela chácara do Jockey.

Mas não quero relatar aqui como foi o show, quais bandas, etc e tal, porque isso você certamente vai encontrar pela net, é só vasculhar.

Quero falar da minha experiência.

Da nossa, porque sei que posso falar por nós dois.

Quem nasceu nos anos 80 e foi adolescente nos anos 90 entende bem o que Faith no More representa.

Eu sempre gostei, nunca fui apaixonada ou fã, mas gostava muito.

Fez parte dos melhores anos da minha vida, aqueles em que eu passava os fins de tarde assistindo Clip Trip e esperando os programas de rádios como Transamerica em seus TOPs do dia para gravar alguma música que eu gostava. E sabe onde? Na fita cassete. Ficar ali parado esperando o locutor parar de falar e soltar o pause repentinamente perdendo sempre o início da música. hahahaha

Sei que parece tosco pra quem já cresceu no mundo virtual onde os MP3s têm toda força. Mas você, pobre criança, acredite, era mágico passar por tudo isso.

Estar ali numa platéia de 24 mil pessoas diante de Mike Patton depois de tantos anos ouvindo sua voz em um meio virtual, foi realmente emocionante.

Ele foi o galã. Ele é o galã.

Ele será sempre o galã, com seu olhar penetrante, seu cabelo cada hora com uma forma e seu rosto, hora com barba, hora não. Sua roupa, cabelo, bengala, guarda-chuva e jeito de cafajeste italiano foram encantadores.

Seus timbres perfeitos, indo do grave mais forte e tenebroso até o agudo mais fino e estridente, mas não tanto que pudesse irritar.

Foi perfeito. Uma perfeita sinfonia em sua garganta.


Cantar, pular, tomar chuva, estar perto de tanta gente tatuada e que gosta da mesma coisa que você, realmente é algo inexplicável e impagável.

O show foi mais do que eu esperava. Porém, tenho certeza que foi o que eu merecia.

Porra Caralho!!!

(frase falada por Mike várias e várias vezes...)


Fé???

Sempre, que existe rock ainda nas veias do mundo.